Volume
Rádio Offline
Economista-chefe da Fiergs aposta na agenda de reformas para acelerar ritmo do crescimento econômico
25/06/2019 10:25 em Economia

O economista-chefe do Sistema Fiergs, André Nunes de Nunes, que palestrou na reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) nesta segunda-feira (24) afirmou que não trabalha com a hipótese de a reforma da Previdência não passar. Segundo ele, a situação fiscal é muito grave e deve ser prioridade. “Resolver a crise fiscal é condição necessária. A reforma da Previdência é o sinal de que a crise fiscal será resolvida através de um ajuste nas contas públicas”, analisou.

 

Para Nunes, a recuperação da economia brasileira, que já era lenta, perdeu tração desde meados do ano passado. O ritmo de recuperação aquém do esperado frustrou as expectativas para 2019. No entanto, os próximos anos, acredita Nunes, serão de recuperação econômica, com espaço para o crescimento sem pressões inflacionárias, o que abre caminho para que os juros permaneçam baixos por mais tempo. “Medidas importantes já foram tomadas”, acrescentou o economista. A questão é que, ainda de acordo com Nunes, o Presidente parece perder tempo com pautas desnecessárias, além de depositar todas as fichas na Previdência.

 

Além disso, Nunes avaliou o cenário da economia pós-eleição e as expectativas do mercado de retomada do crescimento e afirmou que o desempenho econômico ruim do primeiro trimestre não pode ser atribuído ao governo. “Fica a sensação de que o Brasil parou. O que fazer para não ficarmos presos nessa armadilha de crescimento baixo? Não tem solução fácil. Na ausência de um 'motor' do crescimento, é preciso prosseguir com agenda de reformas. TLP, modernização trabalhista e teto dos gastos foram só o início, ainda temos uma agenda muito extensa pela frente. É a resolução dessa agenda que vai pavimentar o caminho para o crescimento mais vigoroso”, argumentou Nunes.


Foto: Julio Soares/Objetiva 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
SHR