Volume
Rádio Offline
Número de casos de tuberculose em Caxias do Sul aumenta 35% em cinco anos
22/03/2019 18:43 em Música

Em cinco anos, o número de novos casos de tuberculose aumentou 35% em Caxias do Sul, segundo dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Em 2014, eram 148 pacientes. Em 2018, o número saltou para 201. A taxa de óbitos fica em torno de 12%. Os números reforçam a necessidade de maior conscientização da população. Neste domingo (24/03), é celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A prefeitura apoia a mobilização e alerta para a importância da prevenção e do tratamento da doença.

 

Bruna Kochhann Menezes, médica infectologista, explica que a tuberculose é uma doença contagiosa causada pelo micro-organismo conhecido como bacilo de Koch. A transmissão ocorre de uma pessoa para outra, por meio do ar. Segundo ela, a doença geralmente acomete os pulmões, mas também pode atingir outras partes do corpo, como ossos, rins e meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro. Quando não tratada precocemente ou de maneira correta, pode matar. “Estima-se que um terço da população mundial esteja infectada com o bacilo causador da doença. Trata-se, portanto, de uma patologia de elevada magnitude e importância global”, alerta a médica.

 

Segundo ela, há um estigma acerca dos pacientes com tuberculose e uma falsa impressão de que se trata de um problema do passado, o que contribui para o aumento do número de casos. “Há, em geral, um desconhecimento por parte da população sobre as formas de transmissão e prevenção. Além disso, a doença é atrelada a populações vulneráveis, como usuários de drogas, pessoas privadas de liberdade e coinfecção nos portadores de HIV. Na verdade, ela pode acometer qualquer indivíduo. Esse preconceito muitas vezes atrasa o diagnóstico e favorece a transmissão do bacilo”, explica.

 

Um dos métodos de prevenção é a vacina BCG, que integra o calendário de vacinação infantil. A imunização protege crianças e adultos jovens contra as formas mais graves da doença. Manter os ambientes limpos, bem ventilados e livres de umidade também ajuda, pois o micro-organismo causador tem predileção por locais com essas características.

 

Tosse sem ou com escarro por mais de três semanas, dor no peito, falta de apetite, emagrecimento, suores noturnos, cansaço fácil e febre baixa, geralmente à tarde, são sinais de alerta. “Pessoasque apresentarem esses sintomas devem procurar a sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência para uma avaliação”, recomenda Bruna.

 

Tratamento pelo SUS

 

Em Caxias do Sul, os portadores de tuberculose são tratados e acompanhados pelo Serviço Municipal de Infectologia (SMI), localizado na rua Sinimbu, nº 2.231, 1º andar. O encaminhamento ocorre por meio das UBSs. O tratamento da doença é gratuito e dura, no mínimo, seis meses.

 

É de extrema importância que os pacientes façam o tratamento completo. Caso contrário, podem voltar a transmitir a tuberculose e os bacilos ficam mais resistentes, o que torna a cura mais difícil. “Infelizmente, as taxas de abandono ainda são consideradas altas. No SMI, o índice é de 11%, em média, no período de 2014 a 2018. Esse fator torna a mobilização, nesta data, e a conscientização, em tempo integral, ainda mais relevantes”, conclui a médica.

 

Foto: Mateus Argenta

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
SHR