TECNOUCS INTEGRA PRIMEIRO CONDOMÍNIO INDÚSTRIAL SUSTENTÁVEL DA REGIÃO

O Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da Universidade de Caxias do Sul – TecnoUCS está entre os players do mercado de desenvolvimento de negócios instalados no Greentec – Condomínio Industrial Sustentável, que será inaugurado nesta sexta, dia 10, na Linha Palmeiro, em Farroupilha (atrás da empresa Fras-le e do Jockey Clube de Caxias do Sul).

Concebido pela ANC Urbanizadora, pela DSM Administração e Construção (empresa de construção de condomínios) e pela Alfa Realty, que atua na gestão de projetos imobiliários), o condomínio de 700 mil m² está dividido em 132 lotes de 1.800 m² a 20.000 m², podendo abrigar de 50 a 60 empresas de segmentos variados.

De acordo com o coordenador-executivo do TecnoUCS, Enor Tonolli Jr, a presença de uma extensão do parque científico-tecnológico da UCS no Greentec permitirá o desenvolvimento de projetos de ciência, tecnologia e inovação junto às empresas desde a concepção de um produto ou serviço.

O conceito do empreendimento está, dessa forma, alinhado ao da 4ª geração de parques científicos-tecnológicos, categoria à qual se integra o TecnoUCS. Nesse modelo, um parque se estrutura em redes de conhecimentos entre universidades, empresas e poder público, independentemente de as instituições estarem ou não fisicamente conectadas – ao mesmo tempo em que podem promover intervenções urbanas nas áreas onde estão instaladas e são orientados para os mercados local, regional e mundial.

Ocupação, infraestrutura e serviços – O modelo de negócio do condomínio Greentec contempla três alternativas: venda de lotes, venda de pavilhões construídos e aluguel de pavilhões. “A partir das necessidades das empresas, desenvolvemos soluções que permitem compartilhar as despesas. Desta forma ocorre a redução dos custos, melhora dos resultados e aumento da competitividade, dentro do conceito de sustentabilidade”, diz um dos idealizadores do projeto, o diretor da DSM, César Matias.

O complexo oferece infraestrutura em logística, segurança e administração das áreas comuns, com divisão das despesas entre as empresas condôminas. A gestão prevê redução do impacto ambiental com tratamento de efluentes, reutilização de água, gestão de resíduos, redução do consumo de energia, coleta seletiva de lixo e destinação para reciclagem e compostagem de material orgânico para adubagem. A infraestrutura é completada centro de convenções, áreas de lazer e espaços para instalações de lojas de conveniência, restaurantes, centro médico, entre outros.