CASAS PRISIONAIS DE CAXIAS DO SUL VÃO RECEBER BLOQUEADOR DE CELULAR E SCANNER CORPORAL

Em busca de soluções para o problema carcerário de Caxias do Sul agravado com a interdição do regime semiaberto no Município, a interdição do Presídio Regional de Caxias do Sul, antiga PenitenciáriaIndustrial (PICSe as poucas vagas que restam naPenitenciária Regional de Caxias do Sul/Apanhador (PERCS) para atingir o teto do índice recomendado pelo plano do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP) do CNJ, os vereadores Paula Ioris/PSDB, Adiló Didomenico/PTB e Neri, O Carteiro/SD se reuniram coma superintendente dos Serviços Penitenciários (Susepe)Marli AneStock, na tarde de terça-feira, na sede do órgão em Porto Alegre. O diretor do DSEP Susepe, Angelo Larger Carneiro, também participou do encontro com os parlamentares que integram a Comissão Temporária Especial para o Enfrentamento da Violência da Câmara Municipal.

Os vereadores saíram do encontro com boas notícias para a cidade. A superintendente anunciou que as casas prisionais de Caxias do Sul estão na lista para receber bloqueador de celular e scanner corporal.Outra importante informação anunciada na reunião foi que há um projeto, já bem avançado,para instalação de uma central com três salas de vídeo audiência na PERCS e para aimplantação de uma divisão de monitoramento dos presos com tornozeleiras eletrônicas no Município. Além disso, a Susepeinformou que está repassando mensalmente 60 tornozeleiras à Vara de Execuções Criminais de Caxias do Sul e analisa acontratação de tecnologia superior para as tornozeleiras.

A curto prazo está sendo feito uma trabalho de inteligência que culmina na intensificação de revistas gerais nas casas prisionais do Município a fim de desarticular possíveis lideranças criminosas negativas ao ambiente prisional. Segundo o diretor do Departamento de Segurança e Execução Penal,em 2016, foram realizadas 190 operações em todo o Estado com o grupo de operações especiais da Susepe (GAES)e 359 operações rotineiras realizadas pelos próprios servidores das casas prisionais. Oobjetivo é manter a disciplina no ambiente prisional e recolher materiais ilícitos em posse de apenados, e, sobretudo, demonstrar o controle do sistema.

Comissão para o Enfrentamento da Violência está empenhada em colaborar com a segurança pública. Além da integração das forças policiais, do fortalecimento de programas e ações de prevenção e do engajamento da sociedade na causa, os vereadores buscam soluções para o sistema carcerário. “A situação carcerária tem reflexo direto no aumento da criminalidade. A impunidade impera na nossa sociedade. Quando não estamos sendo efetivos na punição, não há educação que resolva. Estamos olhando com muita atenção para a situação prisional e lutando para não ter mais um presídio interditado. Por isso, as notícias que tivemos da Susepe são um alento na nossa luta, na medida que demonstram que o Estado está tão preocupado com Caxias quanto nós”,explicou a presidente da Comissão, vereadora Paula Ioris.

1