BOATOS DE CRIAÇÃO E RETORNO DE IMPOSTOS GERA INICIATIVA DE EMPRESÁRIO CAXIENSE

Boatos de criação e retorno de impostos gera iniciativa de empresário caxiense
PAULO
Paulo Pezzi Empresário
AO
MINISTRO DA FAZENDA
SR. JOAQUIM LEVY
BRASÍLIA – DF
CEP: 70.160-900
Prezado Senhor!
É do conhecimento que todas as forças vivas (sindicais, empresariais, etc.) se movimentaram para o cancelamento de uma nova CPMF, porém é sabido que a saúde no Brasil está em decadência e por reconhecer esta situação e como comerciante no ramo de combustíveis é que sugiro e até concordo em criar uma modesta taxação sobre movimentação financeira, para suprir e amenizar esta lacuna chamada “saúde”.
Ao criarmos uma Lei de Moralização e Credibilidade dos Cheques, estaremos
fortalecendo os que seguem:
1- Ao Poder Público;
2- Aos pequenos e micro empresários;
3- Aos bancos;
4- Aos correntistas;
5- As grandes empresas;
 6-Aos poupadores, aposentados e as contas salário.
Este seria o Projeto de Lei para Moralização e Credibilidade dos Cheques.
Por entendermos a atual situação de toda movimentação e ampliar a política adotada pelas instituições financeiras no que tange a correntistas, é que nos servimos da presente para solicitar em caráter de urgência, a criação de um projeto de Lei para Moralização e Credibilidade dos Cheques, com isso visando à responsabilidade maior dos bancos coibindo a devolução dos cheques com valores inferiores a 50% do salário mínimo.
 Entendemos que vossas Excelências administram essa turbulência financeira, consequentemente preocupados com o recebimento dos impostos em dia,  e que na maioria das vezes são afetados pelo alto índice de inadimplência é que viemos solicitar esse magnífico e benéfico projeto de lei que vossas Excelências como representantes do povo, dos menos favorecidos financeiramente, primorosos brasileiros irão desenvolver e aprovar este projeto.
1- Condições favoráveis ao Poder Público:
Considerando que os micros e pequenos empresários seriam fortalecidos e poderiam
efetuar seus pagamentos (impostos, salários, encargos sociais, fornecedores, etc.).
Teríamos uma maior arrecadação de CPMF com a Lei aprovada.
2- Condições favoráveis aos pequenos e micros empresários:
Considerando que os mesmos aceitariam melhor e com mais agrado os clientes que se apresentassem com talão de cheque; que esta liquidez capitalizaria mais este grupo de empresários, que ao invés de fecharem suas portas ampliariam mais seus negócios, ocasionando um maior número de empregos; e ao invés de aumentarem seus produtos reduziriam os mesmos em até 5%.
3- Condições favoráveis aos bancos:
Considerando que os volumes de depósitos nos bancos não se alterariam, simplesmente trocaria de credores; que por falta de fundos os bancos pagariam os valores inferiores a 50% do salário mínimo, porém, estariam autorizados a cobrar uma taxa simbólica por folha de cheque devolvido de R$48,00. Este valor seria utilizado para criação de um fundo para liquidez dos clientes que não vierem a cumprir seus com seus compromissos.
4- Condições favoráveis aos correntistas:
Considerando que o custo de um cheque devolvido pela segunda vez é superior a R$80,00 sem considerar despesas adicionais de protesto. Com a provação desta lei ao invés de desembolsar um custo muito elevado, pagaria uma taxa simbólica de R$48,00, não precisando deslocar-se até o domicilio do credor para pagamento do mesmo e posteriormente ao banco, não se expondo a humilhações, invenções do motivo da devolução e o tempo despendido nestas andanças.
5- Condições favoráveis as grandes empresas:
Como todos nós já sabemos quem movimenta toda a riqueza do Brasil e do mundo são os pequenos e micros negócios, pois ninguém compra remédio dos laboratórios, nem gasolina da Petrobrás e assim por diante, logo, as grandes seriam beneficiadas por receberiam melhor sua produção.
6- Condições favoráveis aos poupadores, aposentados e as contas salário:
Por ocasião da retirada da contas salário, poupança, aposentadoria teriam isenção deste tributo.
Diante disso tudo, ninguém se negaria a participar deste programa, pois no meu  entendimento  está beneficiando a todos que geram trabalho, produtos, comércio e serviços.
Estou à disposição para maiores esclarecimentos, pois isto é tão somente uma idéia, que aprovada poderia eleger até um presidente e os governadores aplaudiriam.
PAULO JOSÉ PEZZI